Dicas de Economia de Energia I - Iluminação

Iluminação

A iluminação de sua residência é responsável por cerca de 20% do total de sua conta de energia elétrica. Veja que medidas adotar para economizar energia elétrica na iluminação de sua casa: 

• Dê preferência a lâmpadas fluorescentes compactas ou circulares para a cozinha, área de serviço, garagem, e qualquer outro local que fique com as luzes acesas mais de 4 horas por dia. Além de consumir menos energia (uma lâmpada fluorescente de 15W ilumina o mesmo que uma incandescente de 60W), elas duram até 08 vezes mais.
• Evite acender lâmpadas durante o dia. Use melhor a luz do sol, abrindo bem as janelas, cortinas e persianas.
• Apague as lâmpadas dos ambientes desocupados.
• Use iluminação dirigida (spots) para leitura, trabalhos manuais etc, para ter mais conforto e economia.
• Pinte o teto e as paredes internas com cores claras, que refletem melhor a luz, diminuindo a necessidade de iluminação artificial.
• Use os lustres ou globos transparentes e mantenha-os limpos.
• Mantenha acesa a iluminação externa somente pelo tempo necessário.
• Utilize somente lâmpadas de tensão (volts) compatível com a tensão da rede da concessionária. Lâmpadas de tensão menor que a da rede duram menos e queimam com mais facilidade. A tensão das lâmpadas incandescentes vem impressa no seu bulbo.
• Por exemplo: lâmpadas de 120V alimentadas em 127V reduzem sua vida útil à metade.
• Existem lâmpadas fluorescentes compactas e circulares em cores "quentes", como a das incandescentes, e em cores "frias", como a das fluorescentes comuns utilizadas em escritórios.
• Não utilize as lâmpadas fluorescentes compactas e circulares com minuteria porque o acende e apaga vai fazer com que sua vida útil seja prejudicada.
• Para obter melhor distribuição de luz, prefira empregar as lâmpadas fluorescentes compactas em luminárias desenhadas especialmente para elas e que aproveitem melhor sua geometria.

Fonte: Centro de Aplicação de Energias Eficientes

Como construir I

Quando pensamos em construir juntamos várias imagens em nossa mente de como imaginamos a futura casa. Mas isso não é o bastante. Precisamos planejar. Projetar mesmo, não desenhar.

Também vale muto contratar bons profissionais. Arquitetos, engenheiros, mestre de obras... Pessoas que sabem o que estão fazendo, que sejam reconhecidos pelo seu bom trabalho e o levem à sério. Converse com eles sobre o que você espera.
Desconfie se o preço for muito barato, ou se o projeto não tiver muitos detalhes, no caso do arquiteto/engenheiro. Falarei disso mais adiante.

Confira nessa série de posts alguns cuidados necessários na hora de construir.


1. Escolha do terreno.


Escolher bem o terreno antes de comprar é fundamental, aconselho vocês a levarem um engenheiro ou topógrafo ao lote. Soube de um caso em que a pessoa sonhava morar naquele bairro, numa cidade serrana (não lembro os nomes). Ela encontrou esse terreno pela metade do preço dos da região e disseram a ela que tinha urgência em vender por causa de uma viagem ou coisa do tipo. A senhora comprou o terreno e contratou um arquiteto pra projetar sua casa lá. Quando ele chegou disse que ela caiu numa roubada: o terreno era íngrime demais e tinhas umas pedras enormes, e ela que pensava em contruir uma casa por volta de cem mil reais, precisaria gastar o dobro disso só no preparo do terreno. Conclusão: ela ficou com um lote inútil, onde nada poderia ser construído com o orçamento que ela tinha, perdeu dinheiro.


continua aqui

Veja outros posts dessa série:
Como construir III - O projeto em si



Related Posts with Thumbnails